sábado, 28 de maio de 2011

Jaraguá - Corupá.

Cachoeira do Braço Esquerdo
Pedalar não é, necessariamente, uma atividade individual. O entusiasmo por pedalarmos por novos roteiros, novos lugares, nos leva a formação de grupos e, por conseqüência, na conquista de novos amigos. Assim, conhecemos um grupo de ciclistas de Jaraguá do Sul, que nos convidou para realizarmos um passeio pelo interior daquele município e, também por Corupá até a divisa com São Bento do Sul. Encabeçados pela Mari, que elaborou um roteiro para conhecermos os encantos da região, fomos guiados pelos ciclistas de Jaraguá, neste pedal que, como outros, será inesquecível.


A promessa de chuvas para o sábado não se concretizou. O dia amanheceu com o céu encoberto e muito frio, mas a certeza de que não choveria, nos motivou e nos deslocamos de carro até Jaraguá do Sul.

Partipantes do passeio

Aos poucos, os ciclistas de Joinville e de Jaraguá foram aparecendo e o pequeno grupo cresceu, totalizando 26 participantes. Dada a pedala inicial, partimos da SCAR e seguimos pelos bairros Amizade, São Roque, Três Rios do Norte.

Igreja em Três Rios do Norte - Jaraguá do Sul SC

Ingressamos na estrada Itapocu-Hansa, seguindo a localidade de Ano Bom, onde visitamos a cachoeira do Rio Ano Bom, na divisa entre Corupá e São Bento do Sul, local que, antigamente, abrigou a usina hidrelétrica sob o nome de Firma Luz e Força Hansa, inaugurada em janeiro de 1920.

Estrada Braço Esquerdo -  São Bento do Sul SC

A barragem foi formada no Salto do Ano Bom, onde o rio passa entre dois paredões de pedras naturais, e para represar as águas foi construído um dique de 22m de altura por 15m de largura. Até 1958 a usina fornecia energia elétrica para a vila Hansa Humboldt (atual Corupá), quando o dique se rompeu e a destruiu completamente. Ainda é possível encontrar parte da antiga construção. O local procurado no verão como praia fluvial, não possui infra-estrutura turística.

Salto do Rio Ano Bom - Corupá SC

A seguir, nos deslocamos até a Cachoeira do Braço Esquerdo, situada no município de São Bento do Sul. Uma subida incrível, uma inclinação acima das forças e do condicionamento físico da maioria dos mortais que acompanharam essa aventura. Enquanto subíamos, empurrando nossas bikes, outros já haviam abandonados as suas ao longo da estrada.

Estrada Braço Esquerdo - São Bento do Sul SC

Ao chegarmos ao final da estrada deixamos nossas bikes e percorremos uma estreita picada na mata, passando por buracos entre enormes blocos de pedra, escadarias e outros obstáculos naturais até nos depararmos com a bela queda d’água, despencando a uma altura de 40 metros. Uma visão magnífica, compensando todo o esforço e o sacrifício da subida. A beleza e a força da natureza em toda a sua magnitude e seu esplendor.

Cachoeira do Braço Esquerdo - São Bento do Sul SC

Energizados pelas belezas do local, iniciamos a descida. Mais a frente, seguimos por uma estrada que margeia em alguns pontos o Rio Humbold, um dos formadores do Itapocu, até cruzarmos o portal do Rio Natal. Estas estradas se encontram dentro da Área de Preservação Permanente (APA) do Rio Vermelho-Humbold, com uma área de 23.000 hectares no município de São Bento do Sul.

Rio Humbold - São Bento do Sul SC

Seguimos, agora, em direção ao centro de Corupá, cidade fundada em 1897, colonizada por alemães, italianos e poloneses, maior produtor de banana de Santa Catarina e conhecida nacionalmente por abrigar 67 cachoeiras, inúmeras grutas, rios e ribeirões, que a qualifica como excelente roteiro para os amantes dos esportes radicais.

Portal de Rio Natal - São Bento do Sul SC

Cidade com cerca de 12.000 habitantes que ainda preserva seu bucolismo. Em pleno sábado, ao meio-dia encontramos apenas um ou outro carro percorrendo o centro da cidade.

Av. Getúlio Vargas - Centro de Corupá SC

Apenas como curiosidade, vale ressaltar que a história de Corupá remonta ao ano de 1541 quando a expedição de Don Alvar Nuñes Cabeza de Vaca percorreu o célebre Peabiru: caminho indígena pré-cabraliano que ligava os Andes ao Oceano Atlântico. O Peabiru iniciava na desembocadura do Rio Itapocu, em Barra Velha, subindo por ele até a confluência dos rios Novo e Humboldt e dali pela atual Avenida Getúlio Vargas subia a Serra do Mar, pelo traçado da atual estrada de ferro até as nascentes do Rio Banhados e seguindo o Rio Negrinho, o Rio Negro, o Rio Iguaçu e o Rio Paraná até o Paraguai, além disso, também interligava trilhas indígenas menores. Este caminho foi muito usado até 1850, quando ele foi retalhado pela construção de rodovias e a ferrovia, mas ainda é possível percorrer o traçado geral.

Igreja Luterana - Corupá SC

Passada a parte central, cruzamos a rodovia SC 280 e seguimos até o Seminário da Congregação do Sagrado Coração de Jesus, construído em 1929 com tijolos aparentes e amarração com presilhas de ferro, com 20 mil metros quadrados de área construída. O local abriga o Museu de História Natural Irmão Luiz Gartner, cujo acervo taxidermizado (animais empalhados) constitui-se numa coleção de 1.500 exemplares entre aves, répteis, mamíferos e peixes, que mostram a diversidade natural da região; a Capela onde são celebradas missas aos domingos; loja de souvenir; quadras esportivas, campo de futebol e salão de festas.

Seminário da Congregação do Sagrado Coração de Jesus - Corupá SC

Deixamos o Seminário e seguimos até a SC 280 em direção ao Hotel Tureck Garten Hotel, local escolhido para o nosso almoço. O Tureck já chama a atenção de quem transita pela SC 280, por seus chalés se destacarem em meio à beleza paisagística de seu parque, mas ao adentrarmos, nos encantamos ainda mais, quer pelo cuidado com seus jardins e edificações, e, ainda mais, pela excelência de seu atendimento e pela qualidade de seu restaurante, tanto pela comida, como pela beleza de suas salas de refeições.

Tureck Garten Hotel - Corupá SC

Depois de refeitos, almoçados e descansados, partimos para a etapa final de nosso passeio. Cerca de 20 quilômetros, passando por Nereu Ramos, retornando pelo bairro Amizade até a SCAR.

Igreja Nossa Senhora da Conceição - Nereu Ramos - Jaraguá do Sul SC

Percurso total com 74 km. Em alguns trechos é possível encontrar pontos de abastecimento, tanto para água como para alimentação, noutros, percorremos locais completamente isolados. A maior parte do percurso não apresenta dificuldades técnicas, apenas a subida até a Cachoeira do Braço Esquerdo. No entanto, é preciso certo preparo físico devido à distância percorrida.

Perfil altimétrico do percurso


Passeio realizado no dia 28/05/2010.
Organização: Marines e o pessoal de Jaraguá.
Participantes: 26 ciclistas de Joinville e Jaraguá.

Agradecemos ao pessoal de Jaraguá pela organização e pela acolhida, assim como ao pessoal do Tureck Garten Hotel pela recepção e pelo atendimento.

Veja todas as fotos deste passeio no link abaixo:

5 comentários:

  1. Muito bom o pedal, estão de parabéns.
    Jedson Eleuterio
    www.jedbike.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Jedson! Obrigado pela visita e pela postagem. Moramos numa região e num estado que possui um povo acolhedor e muitas belezas naturais. A bicileta nos dá a oportunidade de percorrer estradas que jamais conheceríamos com o uso do carro. Bons pedais. Abraço. Gerson.

    ResponderExcluir
  3. conheço bem esse trajeto... muito interessante e bonito... pedalar por ai é emocionante....

    ResponderExcluir
  4. Conheço esse trajeto.. é muito bonito... pedalar por essa regiao é uma aventura encantadora ... sempre vale a pena ....
    Valeu !!!

    ResponderExcluir
  5. Este roteiro é muito bonito e, para quem ainda não conhece, vale a pena percorrer. Obrigado por compartilharem. Abraços.

    ResponderExcluir